26 de fevereiro de 2011

A Nova Ordem Mundial

Em 1994, dirigi uma cruzada evangelística no Estádio Nacional de Lima, no Peru. Compareceram quarenta mil pessoas durante quatro noites. Um mês depois, recebi uma carta enviada por um militante de um grupo revolucionário daquele país. Escreveu-me o seguinte:

"Fui ao Estádio Nacional, não por interessar-me pela programação, mas cumprindo um dever que meu grupo me impusera. Estamos sempre presentes em todas as reuniões públicas. Sabemos de tudo, participamos de tudo. Não pense que sou desalmado, sem coração. Tenho sentimentos, mas também tenho sonhos. Sonho com um país verdadeiramente livre, no qual haja justiça social e o pobre não seja mais escravizado pelo rico. Quero um país onde as crianças possam nascer com esperança de ser alguém na vida e tenham direito à saúde, educação e dignidade. Sei que é preciso destruir a atual estrutura social para que uma nova tome conta da situação. Por isso minhas mãos estão manchadas de sangue. Por isso que não me doía agir assim? Pensa que não tenho coração?
Mas todo sonho tem um preço, e eu estava disposto a pagar pelo meu, até aquele dia, quando o ouvi pregar no Estádio Nacional. Misturado à multidão, escutei-o falar de Jesus. Naquela noite descobri que todo o sangue necessário para construir uma nova sociedade já fora derramado na cruz. Mas o que você quer que eu faça agora? Como esquecer as pessoas ajoelhadas, suplicando-me que lhes poupasse a vida? Como conviver com as noites de insônia e os pesadelos horríveis que me atormentam?"


Um Mundo que se Autodestrói

Essa carta é a expressão dramática de muitos corações. Algo está errado neste mundo. Podemos vê-lo todos os dias nas manchetes dos jornais. Podemos observá-lo nas ruas, perto de nós. Podemos senti-lo na injustiça de um mundo que colocou os valores de cabeça para baixo. Prosperam os desonestos enquanto os honestos são considerados tontos, ingênuos ou ultrapassados. Morrem inocentes; sofrem pessoas que não fizeram nenhum mal. A terra está condenada por causa da própria voracidade humana. Há seca em alguns lugares, enchentes noutros. Furacões, terremotos, incêndios, tragédias aéreas, doenças misteriosas e incuráveis, enfim, ninguém pode negar que o mundo se dirige perigosamente para sua autodestruição.

Em meio a tudo isso, chega até nós a visão resgistrada por João no livro do Apocalipse: "Vi novo céu e nova Terra, pois o primeiro céu e a primeira Terra passaram, e o mar já não existe. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: 'Eis o tabernáculo de Deus com os homens, Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram'."

A Verdadeira Nova Era

Esse será o início da verdadeira Nova Era. Não tem nada a ver com a "era de aquárius" neste mundo apodrecido e contaminado pelos vírus do pecado. Não se trata de melhorar este planeta. Trata-se de um mundo completamente novo.

Talvez você já se tenha perguntado: "Por que será preciso que este mundo seja destruído por ocasião da volta de Cristo?" Lembra-se do cataclismo universal que o autor do Apocalipse descreve? "O céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola. Então, todos os montes e ilhas foram movidos do seu lugar." E Pedro acrescenta: "Virá, entretanto, como ladrão, o dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas."

Isso significa uma convulsão geral em nosso planeta. Mas a pergunta ainda é: Por quê? Porque o mundo que Jesus encontrará no Seu retorno não será o mundo perfeito que Ele entregou ao ser humano no Jardim do Éden. Deus nos estregou um mundo maravilhoso e nós o tornamos um grande cesto de lixo ecológico. Ele criou seres humanos equilibrados e felizes e nós nos tornamos máquinas enlouquecidas devoradoras de prazer. Portanto, é preciso que tudo seja destruído por ocasião de Sua volta, para Ele poder fazer tudo de novo. E eis que surge, então, descrita pelo apóstolo João, a nova Terra. Sem mais dor, nem tristeza, nem doença, nem morte.

O quadro da história humana está completo. Se você começar a ler a Bíblia, perceberá algo interessante. Gênesis começa relatando a criação de um mundo perfeito. Tudo era maravilhoso. Existia harmonia e equilíbrio na criação. Logo vem o capítulo três, relatando a entrada do pecado neste planeta. Satanás se disfarça para levar o ser humano a adorar qualquer coisa, menos a Deus; e também para levá-lo a desobedecer. Os seres humanos caem. Entram o sofrimento, a dor, a desconfiança, o egoísmo, o espírito de acusação e crítica e a inveja. O equilíbrio ecológico fica alterado; aparecem espinhos e a terra torna-se improdutiva. É um caos.

A partir daí, começa a história do pecado neste triste mundo. Ao longo da História, milhões perderam a vida envelheceram, foram infelizes. Carregaram, em sua curta existência, multilações físicas e psicológicas das quais nunca puderam libertar-se.

Mas o plano de salvação estava já idealizado. Um cordeirinho foi sacrificado para cobrir com sua pele a nudez do homem. Deus estava dizendo, com isso, que um dia enviaria Seu próprio Filho, o Cordeiro de Deus, que seria a única saída para o problema humano. O Criador queria restaurar o homem ao seu estado original, enquanto o inimigo, por outro lado, tentava consumar a destruição.

A Bíblia toda relata, a partir dali, a grande luta pelo coração do homem entre Cristo e Satanás. Satanás seduziu, enganou e, por vez, obrigou a raça humana a rejeitar a Deus e seguir seus próprios caminhos, enquanto Jesus teve sempre um povo que O adorou e Lhe obedeceu.


Apocalipse: o ponto final da História

O Apocalipse é o desfecho de tudo. Ali se descreve a luta final; ali se desmascara o inimigo e suas estrategias; ali também se adverte a humanidade da urgência e do perigo do tempo em que vivemos.

O mundo será destruído e com ele serão destruídos os que fecharam os ouvidos ao clamor divino. A História chega ao fim. Cristo volta a reclamar Seus fiéis, leva-os para o Céu por um período de mil anos, depois os traz de volta para uma Terra completamente refeita, nova, transformada.

 O profeta Isaías diz que, nessa Terra, os remidos "edificarão casas e nelas habitarão; plantarão  vinhas e comerão o seu fruto. Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam".

Pode existir mais justiça social do que essa? A luta entre o capital e o trabalho terá chegado ao fim. Não existirá mais exploração, nem classes sociais, nem diferenças de poder aquisitivo.

A violência também findará. "O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi... Não se fará mal nem dano algum em todo o Meu santo monte, diz o Senhor."


O fim e o começo

Esse é o fim de tudo e o começo de uma vida sem fim. O Apocalipse termina relatando a vitória final de Jesus e Seus remidos, e a erradicação completa do pecado. Todos os que decidiram seguir ao Salvador, estarão com Ele no lar, afinal.

Ao longo da História, porém, milhares de filhos fiéis a Deus morreram na areia do deserto, esperando o cumprimento da promessa. O autor da carta aos hebreus, falando deles, comenta o seguinte: "Os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prissões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos ao fio da espada; andaram peregrinos, vestidos de pele de ovelha e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra. Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé, não obtiveram, contudo, a concretização da promessa."

 Eles viram a terra de longe, mas não entraram nela. Acreditaram na promessa pela fé, mas foram surpreendidos pela morte. Mas a história não se repetirá porque, temos a certeza absoluta de que, breve, muito breve, estaremos, com Jesus, no lar afinal!

_________________________________________________________________


 
Estudo tirado do Livro "O Terceiro Milênio e as profecias do Apocalipse".

Escritor: Alejandro Bullón

Um comentário:

  1. esse sim foi um bom resumo de tudo,mas um leigo nao seria capaz de entender

    ResponderExcluir